segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Violento.

Há uma violência dentro de mim, perguntando "por que".

Acordo, parece tudo normal, só mais um dia. Tento sintonizar minha visão, pois os olhos ainda estão cansados. Tento esticar meu corpo o máximo que posso, tento medir a fome.
Pego meu telefone e vejo que horas são. Espero alguma noticia boa, espero não sentir aquele frio no estomago, aquele habitual enjoo de estar preso na mesma merda.
Começo a pensar no que pode ser pior, talvez para amenizar as outras coisas ruins. Isso não parece racional, é algo instintivo que meu cérebro faz para que eu não volte a dormir...

Não há paz a ser vendida, não é como algum remédio para amenizar a dor de cabeça, a dor no estomago, a dor no nariz. Tudo parece trivial, mas de tão massante que é, mais uma vez parece ser a pior coisa do mundo.

 A ansiedade é avassaladora. Parece existir um trem dentro de mim. Um trem desgovernado disposto a quebrar tudo, destruir tudo ao caminho que faz. Esse trem vem carregado de pensamentos ruins, tolos e, muitas vezes, pensamentos inúteis.
Aquele mesmo pensamento de "e se". Cansativo... No mundo real não há espaço para isso, isso serve apenas para alimentar mais perguntas sem respostas, mais perda de tempo. Mas é um exercício quase que diário, ainda mais se o diabo fizer da mente uma oficina bastante eficiente.

E, com isso, a vida tende a passar cada vez mais rápido. E o que poderia ser feito de útil, não é.

Vamos lá, campeão. Levante dai e respire algum ar puro. A violência mental acabou. São tantos exercícios, são tantas tarefas, tanta realidade. Aquilo não passava de tempo desperdiçado.
O trem agora não está tão rápido, tem algum certo tipo de controle, o engate está para baixo.

Mais um fim de dia se aproxima...
O medo da repetição se aproxima...

As vezes ele não consegue imaginar como uma coisa pode durar tanto tempo. O quão estranho é o passar dos anos e toda luta - seja qual for - feita para conseguir sobreviver.

Ele "inveja" os "amanhã é um novo dia". Não consegue raciocinar sobre isso. Será que o poder da 
ilusão é tão motivadora assim?
Ele devia pensar sobre isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário