domingo, 1 de janeiro de 2017

Curto.

Tento imaginar o que vai ser quando eu estiver morrendo. Se imagens cinzentas vão rodear minha visão em busca por mais vida, ou se...eu vou querer partir logo, ou por estar cansado...ou arrependido.
Nesses dias em que o vazio bate da forma mais honesta, sinto que realmente é um nada. Nada faz o mínimo sentido. E parece que apenas sobra o lado animal que há em nós, e muita vezes é isso que nos mantém rodando, aquele extinto de preservação.
A vida já foi menos curta, afinal de contas, é uma contagem regressiva. As vezes não sei lidar com o fato que meu tempo é limitado...já tive a ideia de que cultuam muito a vida, hoje eu entendo o motivo disso. Não é porque ela é rara, é uma questão
de sobreviver, seja qual condição for.

Nenhum comentário:

Postar um comentário