domingo, 27 de março de 2016

Traurig Geburtstag



Aniversário, menos um ano.

A medida que o tempo vem de encontro com sua face, mais temor e alivio alguns sentem.É um alivio em saber que o pó se aproxima. Temor por não saber se esse pó virá com dor.
Ainda lembro-me de certo aniversário surpresa que eu tive...Naquela época eu não teorizava sobre a existência na mesma amplitude que agora. Naquele tempo eu entendia tudo como uma evolução, hoje eu entendo tudo como vida.
Ainda fico surpreso de como eu vim parar onde estou. Com toda certeza não é uma coisa agradável que me faça querer brindar com guaraná.

Felicitações pra mim são indiferentes.  Mas existem aquelas que são feitas por praxe, são um grande pé no saco, uma obrigação social que todos precisam cumprir.
Ai vem aqueles desejos copiados de algum site de frases, onde o dono provavelmente lê livros de auto ajuda. 

Há também a parte boa, aquela parte que respeita sua indiferença.
Mas não questiono a veracidade de algumas palavras, algumas vêm de sentimentos bons, claro. Mas também não é necessário criticar em demasia palavras vazias, porque ali você já identifica alguém que não deve comer um pedaço de bolo.

Não há como estender sobre assunto. As vezes aniversário parece só mais uma motivo para reunião, festa...sei lá, coisas que fazemos para nos sentirmos menos ruim nesse mundo doente.

Eu não quero presente, eu não quero ser paparicado. Eu não quero que cantem parabéns pra mim, porque eu mesmo não o faria, em hipótese alguma. 

Menos um ano. E chegando aos trinta. Puta que me pariu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário