domingo, 27 de maio de 2012

O Infinito Ciclo da Descrença...


Hoje é Domingo, amanhã segunda, e por quê? Porque Deus quis...

Acordo todo o santo dia com o seguinte pensamento: Estou vivo, ou estou fingindo que me importo?

A rotina é quase um vírus, mas de tanto contaminar...pode até ser que seja algo bom (com o passar do tempo...)
As horas sempre vão passar, e sabe o motivo? Apenas física, apenas física...

Nada vai voltar, não como era antes. A minha descrença nada tem a ver com o fator de não crer. Alias, quando eu era um crente estava na mesma, ou até pior. O que acontece é que simplesmente um por do sol não me traz motivos pra crer em algum Deus, mas ele pode me dar algum ânimo, algo como voltar a sentir o que era importante.

Não me interesso mais por mentiras, embora eu omita muita coisa, Bom, antes viver omitindo do que vomitar falsas felicidades na cara das pessoas.

Não posso ser compensado pelo simples fato das minhas pernas me manterem de pé, pois o que me mantém é acreditar que ainda há um chão que eu possa pisar.

Às vezes posso esquecer de todo o lixo, é raro, mas acontece. Eu sou realista? Bom, em alguns pontos, na verdade eu sou é muito debochado, mas esse é um “caminho” que encontrei pra ver graça nas desgraças.

Oras, uma pessoa veio me dizer que já viu Humanoides, como eu iria reagir a uma afirmação dessas?

Amanhã na segunda de manhã eu irei acordar, irei pro meu trabalho, e pensando: Poderia estar pior, logo eu me conformo...alguns minutos depois a ficha cai, e logo meu pensamento muda: Que porra de trabalho é esse?  Volto a me questionar: Mas é a pior coisa do Mundo? Não, não é, e quando eu não mais o tiver, ficarei pior, mas será? Tudo depende de como eu vou agir depois, certo? Mas o que mais pesa são alguns arrependimentos...

Bom, volto a ficar “calmo”, até que me vejo viciado, sentado e com dores nas costas, de tanto sentar errado na cadeira e ficar parado no trabalho, vendo atualizações inúteis...

A segunda feira vai acabar, assim com os outros dias, e no final de tudo (quando tiver) a única coisa que vai importar é o que eu fiz para que as coisas mudassem, e se eu não fiz nada, eu fui um cúmplice de minha própria desgraça ( que não tem a ver com descrença). 

Eu poderia dizer até que fui covarde, mas em algumas situações quem não é? Exigir ser forte demais é um pé no saco!

É um ciclo, e esse é muito real e verdadeiro, baseado em fatos e argumentos válidos. Eu sou a própria prova. Não há como contestar a minha descrença diária, e a falta de esperança, a falta de crer que eu posso ir até certo topo sem medo de cair...

Bom, quando chegar a sexta feira vou ficar contente... só de imaginar que irei poder dormir tranquilo. Mas espera, é apenas um dia, e o que eu fiz para que ele fosse bom? Nada, apenas fui indiferente, e ele passou da mesma forma. Sábado de manhã acordarei cedo, pois acordar depois das dez da manhã me dá vontade de dar um tiro na cabeça.

A rotina já me prende e não faz tanto mal, mas eu sei que tudo pode piorar, e quem não sabe?

Agora tentarei dormir tranquilo para começar mais uma semana. Não vou orar, as coisas não caiem do céu, quero dizer, caiem sim, algo como chuva...

Se as coisas lá de cima não caiem, o que eu estou esperando pra fazer algo de verdade da minha vida? Esperar o quê? Sim, isso é muito comodismo, e isso eu compartilho e muito com as outras pessoas.

Fingir é uma bosta, não ter senso de humor pior ainda. Deixar tudo nas mãos de algo não confiável é ridículo, olhar pra cima e não ver as estrelas é inútil!

Eu tenho a FAMÍLIA mais linda do Mundo..?. Não sei, pois seria muita pretensão dizer isso, mas posso afirmar que AMO a FAMÍLIA que eu tenho! É nisso que acredito, valorizar as coisas boas e não supervalorizar.

Eu ainda sinto falta de muita coisa e não nego, mas não vou ficar batendo isso no peito, às vezes dói e pode até inchar o coração! Na verdade já inchou faz tempo...

Quando vejo algum horizonte eu lembro que já passei por ali, e que há muito tempo atrás eu nem estava aqui pra ver o que vejo, pra questionar o que questiono, e é maravilhoso olhar para trás e ver que já consegui superar coisas estranhas.

Quando eu estiver velho...ah, quando eu for velho, terei menos dentes, ficarei com tudo caindo, talvez tenha alguma doença grave, menos pelos, mais chatices, comendo menos, mais magro (se é que pode ser possível isso e continuar vivo). 
É isso que acredito que pode acontecer, independente do que eu faça agora, é o mais provável, mas não quer dizer que vá acontecer, enfim, é uma probabilidade.

Não, não irei clamar Jesus quando eu estiver morrendo. Lembro-me do meu avô em seus últimos dias de vida, ele estava duvidando de que talvez houvesse um paraíso, talvez ele não quisesse mesmo morrer, e isso na verdade é triste. Essa mentira de paraíso pode servir para algo, mas não deixa de ser uma mentira, certo?

É difícil de imaginar um cenário para minha morte, é mais fácil imaginar o agora, e agora diz para que eu faça algo, não por necessidade, mas para que eu me sinta realmente alguém e não somente mais um... Mais um na frente do computador prestando serviço...





Nenhum comentário:

Postar um comentário