domingo, 11 de março de 2012

Corda Bamba.


Sensação boa que o dinheiro traz, quando compro algo e meus olhos “brilham”... uma semana depois o brilho apaga-se...

Sensação boa quando consigo algum objetivo, até notar que nunca foi uma ambição e muito menos sonho, somente perda de tempo...

Sensação boa que sinto quando vou embora do trabalho, até chegar no outro dia de manhã e ter aquele sentimento de começar tudo de novo e quase que obrigatoriamente...

Sensação boa de quando perco algo e consigo achar, até que o que eu procurava não era bem o que eu precisava, e poderia ter ficado perdido...

Sensação boa quando há uma expectativa e ela é quebrada pela realidade, sensação boa de acordar de um pesadelo (não real)

Vou dizer o que é real...o que realmente é bom e importa pra mim...

Estar longe de tudo, até de si mesmo, ao ponto de estar tão distante que somente a brisa é sua companheira... Sem cobranças, sem falações, sem palavras vomitadas que não possuem assinatura...

Conseguir captar a simplicidade de um som que jamais você conseguiria ouvir estando nessa porra de barulheira do dia a dia.

Conseguir alcançar as estrelas somente olhando para elas...

Perceber a sutileza mesmo estando em meio a alguma guerra, conseguir ser verdadeiro não com os outros, mas consigo mesmo...

Acordar pela manhã e ir para o trabalho com a sensação de que o que você irá fazer pode causar alguma diferença.

Não ser mecânico o tempo todo, descumprir protocolos idiotas, não seguir tanto as regras!

Não dar valor a vida somente pelo perigo eminente de perdê-la, mas sim pelo razão por ela ser única, e ter vindo de forma tão rara, pelo pouco que sobrou de seus verdadeiros sonhos, pelo pouco que sobrou da sua crença em si mesmo.

Tento usar isso constantemente no meu dia a dia, mas falar é uma coisa, executar é complicado. Infelizmente ainda vejo muito rabo preso, e nos preocupando o que os outros vão achar, seja no emprego, seja em algum relacionamento, seja na faculdade, seja no inferno, no céu, no Facebook. 

O que os outros vão achar de mim? Que sou um magrelo babaca, mas isso não tem problema, isso eu encaro como real, mas o que realmente é?  Só o espelho me diz...

Desnecessário fugir da realidade, sem necessidade viver somente de realidade, tão difícil haver um equilíbrio, algum dia ainda decido por onde ir, no mais, continuo na corda bamba...


Nenhum comentário:

Postar um comentário