domingo, 26 de fevereiro de 2012

...nada de mais!


Por um tempo eu deixei de tentar acreditar que mergulhar fundo poderia ser a solução pra enxergar algo mais além, se bem que além da superfície não existe nada ainda que eu não tenha sentido...

Às vezes me preocupo, como pode ser daqui a alguns anos? Ninguém sabe, ninguém...
Tentar adivinhar isso é coisa pra “Mães Dinás” e charlatões do tipo!

Não entregarei minha vida a dúvidas desnecessárias, mas espero que algumas perguntas se tornem corriqueiras...

Eu não sei se está tudo bem, possa ser que piore tudo, ou melhore, possa ser que eu não tire nada de positivo de alguma fase...

... mas seu sei que existem algumas pendências e no mínimo eu devo levá-las em consideração, se eu quiser realmente resolver o que me deixa com a pulga gigante atrás da orelha.

Enquanto houver algum chão, eu vou pisar...enquanto houver alguma céu, tentarei voar, enquanto minha asas queimarem, tentarei somente pular...

De uns tempos pra cá revi alguns conceito em relação do que é justo e do que não é. Tive a nítida ideia que às vezes você comete uma injustiça sem querer, pois, o controle está longe de existir. 

Não que eu precise ser incorreto, mas existem algumas coisas que estão fora de meu alcance e isso não me torna melhor, nem pior, nem maior, nem melhor, apenas me torna um humano, simplesmente convivendo com tudo no planeta Terra.

Já tive aquelas fases de achar que era de outro planeta, de outra dimensão, de outro sei lá o que, pois era difícil admitir que eu precisasse me encaixar num “quebra-cabeças...”

Minha opinião pode valer de muito, mas dependendo da forma que eu uso, poderá servir como lixo ou desculpas esfarrapadas.

Eu não sei bem definir o que é ter boas intenções, mas conheço minha essência e sei o que pode me ferir e machucar aos outros.

O fato é que você vai ver sua casa cair e a dos outros também... mas sinceramente, agora eu preciso construir minha casa e a dos outros que se fodam..
.
Acho que o sentido da vida está em tentar ao menos dar alguma vida para os sonhos que temos, mas aqueles que guardamos muito tempo dentro de nós e não aqueles sonhos que inventamos somente pra achar que temos algo a alcançar...

Por vezes ainda bate aquela vontade de me afogar, de me sabotar e me sentir inferior, mesmo não justificando o motivo disso...

A loucura ainda me parece mais interessante que a normalidade, coisas iguais de mais é um pé no saco, no olho, na cara!

Algumas situações eu estou olhando somente de lado, esperando o momento certo de decidir o que posso fazer, estou cauteloso e por vezes me seguro muito, eu sei de algumas verdades e elas me incomodam, mas servem como trunfo também.

Estou tentando aproveitar o que de melhor eu posso ter, fazer, sentir... não preciso que todos gostem de mim, não preciso de receber elogios  (embora seja muito bom), não preciso justificar minha não crença, não preciso provar pra mim mesmo e nem pros outros. 

Eu preciso melhorar muita coisa, mas muiiiiita mesmo e estou muito longe da “perfeição” graças a Deus, pois se algo é perfeito, é como ele ,(Ironia mode on) invisível, e não pretendo ter coisas invisíveis.

Eu sigo com a minha visão que ainda é menos cega do que qualquer fé, eu sinto as batidas do meu coração e independente se eu levo uma vida boa ou não, ele está batendo.

Se pra você minha vida pode ser vazia por ausência de mesmice, então eu devo preenchê-la de raridades.










Nenhum comentário:

Postar um comentário