segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O Fim!


Acredito eu que é inútil discutir sobre a origem das coisas...não que seja inútil ao pé da letra, mas no sentido de explicar com fatos o que nos cercam.
Um crente vai creditar tudo a alguma divindade, mesmo se isso é contra as leis que cercam o universo.
Enfim...
Eu admiro a beleza da natureza em sua totalidade, tudo é muito lindo mas me parece perigoso.
O sol vai deixar de existir e logicamente até lá já virei pó, nem sei se terá alguém aqui pra ver o sol morrer...mas deve ser algo lindo, sim, mas não deixa de ser um “terror”.
Já sonhei que a terra era engolida por planetas maiores e eu corria, mas era inútil, eu tinha a certeza que eu morreria, e a única coisa que eu pensava era: “Será que vai doer”?
Não estava preocupado pra onde eu iria, apenas preocupado com a dor...
Eu corria para todos os lados, era tanta correria que mal pensava na minha família, na minha casa, eu estava tão tenso que meu pensamento era de tentar aliviar uma possível dor...
Então eu me tornaria um egoísta? Não sei bem ao certo. Talvez naquele momento eu estava me amando mais do que nunca...
Mas isso foi apenas um sonho, o mundo não vai acabar tão cedo, mas a minha vida vai, isso é um fato...e sabe qual minha curiosidade? Não é de saber o que acontecerá depois, e sim de tentar sentir como é fechar os olhos e não pensar em mais nada...
...de não pensar em coisas tensas, de não lembrar de momentos bons que apesar de ótimos se tornam sufocantes e viciosos, de não pensar que preciso valorizar a dor pela perda alheia, de não pensar que preciso pensar no futuro, que preciso ter grana, de acabar com toda ansiedade.
Voltando no meu sonho, eu apenas desejei sobreviver...mesmo sabendo que eu morreria, e todos iriam morrem, não iria sobrar ninguém, iria ser um “blooommm” e tudo acabaria ali, sem nenhuma exceção, até as baratas morreriam, escorpiões e afins...
Se fosse com alguns crentes, logicamente pensariam em Deus e mal se perguntaria, o motivo Dele querer acabar com o planeta, mas com toda certeza eles rezariam para que fossem salvos, seria incoerente, mas seria com desespero mesmo, assim como eu querendo sobreviver, correndo pra lá e pra cá, como se houvesse como escapar.
Como deve ser você ver aquele planeta gigante invadindo seu "planeta anão" e não poder fazer nada para deter o fim... deve ser como fechar os olhos e tudo ir embora, dando espaço para um alivio e a agonia acabaria...
Será necessário um fim próximo para me motivar a deixar meus olhos sempre abertos, será que terei para onde correr sabendo que não morrerei em breve...
De qualquer forma, parece que estamos seguros, mesmo com nossas fraquezas, com nossas incoerências, com nossa inveja.
Talvez eu recebesse de braços abertos o fim, nada eu poderia fazer, e se eu pudesse, será que eu o evitaria?
Não desejo morrer desta forma, mas certamente eu não iria sozinho...Mas sei que sou um mero mortal e acredito não existir vida após a morte. Isso não torna tudo mais sem graça e talvez ai esteja o sentido da vida, querer viver mais, pois não haverá mais nada depois.
Mas é inevitável, se eu soubesse que teria apenas, sei lá, umas oito horas de vida, eu correria para os braços de pessoas distantes que estão tão perto, minha motivação não seria a morte, mas sim o medo de não sentir novamente o que um dia me deixou feliz...eu gostaria de ter aquele gostinho antes de ir.
Não que todos nós sejamos iguais, mas em alguns medos somos todos gêmeos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário