quinta-feira, 1 de setembro de 2011

V.a.Z.i.O


Não tenho a ambição de preencher vazios, se eles assim estão, assim devem ficar.
Pode parecer conformismo ou algo covarde, e até pode ser, mas em meu caso é algo além dessas denominações.
Não faço as coisas com a intenção de preencher lacunas, faço as coisas com a vontade de que sejam revertidas em momentos importantes pra minha vida e por mais que estes sejam completo não ocupam um lugar não preenchido.
Não é exigência, é fato.
Já cansei de tentar me iludir que a felicidade é plena, que a alegria pode ser constante, nada é, como todos sabem nem mesmo a tristeza...
Existem coisas que são insubstituíveis, pois tudo é diferente, cada intensidade, cada sentimento, cada vida, cada morte...
Quanto mais eu desviar do vazio mais o mesmo me perseguirá e isso sempre foi algo constante, e nem o uso mais para me motivar a vencer, pois é algo invencível...
Eu cheguei a conclusão que posso ter uma vida, digamos que boa mesmo tendo alguns vazios, pois sempre vou querer mais e sempre irei desejar ter de volta alguns sentimentos que supostamente preencheriam tais lacunas, porém aprendi que não é bem assim. Para cada momento que se vive existe um deles, e negá-los é se iludir de mais, sempre estarão em sua cola.
O que tenho hoje antes eu não tinha e antes era tudo que eu queria ter e vice versa, não dá pra ter tudo e o vazio prova isso, já que ele me mostra uma realidade não falsa como posso ignorá-lo?
E se eu tivesse tudo que preciso, será que existiria esse vazio? Bom, isso é difícil de responder, só posso chegar a uma conclusão se um dia eu conseguir ter tudo que quero, porém acredito que isso não me afastará do vazio. A vida é curta de mais pra ter tudo que podemos ter e a vida é longa de mais para termos tão pouco. Tudo é uma questão de nos compararmos a existências de coisas mais antigas, isso pode nos desvalorizar, mesmo que mostre que ainda somos grandes.
Não espero ser recompensado por algo grandioso que eu possa a vir fazer, pois geralmente não somos, e isso pode gerar uma expectativa desnecessária.
Cada dia é um novo dia pra recomeçar? Talvez... mas a cada dia que acordo vejo repetição e logicamente isso não é culpa dos astros, das pessoas, e sim minha culpa...praticamente tudo é minha culpa...
Voltando ao vazio...será que nasci com ele ou adquiri isso com o tempo? Isso eu ainda também não sei.
O que acredito é que o vazio só vai embora quando a morte chega, como eu mesmo já disse isso em outros textos, também possa ser que o mesmo acabe com a chegada de uma nova vida, mas é pouco provável...
O vazio não é irreversível, porém sempre existirá algum...

Um comentário: