segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Quando os olhos fecham e tudo termina, não há um recomeço...
Ter a idéia que somos imortais nos torna egocêntricos, o tal centro do universo.
Não temo a morte, diferente dos que acreditam existir um paraíso...Sei que não terei outra vida.
Estou mais que convencido que quando formos embora iremos deixar algo ou não, isso na verdade não importa, mas para quem fica sempre permanece alguma lembrança, mesmo que seja ruim.
Eu ainda ouço latidos da minha cachorra, ainda ouço o barulho que ela fazia quando tomava água e em meus sonhos ela está bem viva, dentro de nós que, aqui estamos algo não morreu! (...)
Compreender a vida como ela é não nos torna pequenos, muito menos insignificantes, o que nos torna pequeno é acreditar que ressuscitaremos a cada vez que partirmos.
Ainda não nos damos bem com a morte, se é que um dia encararemos isso como algo bom...
Lógico que por trás de cada olho que se fecha há uma história, tanto de sua vida quanto o motivo da morte e isso faz toda diferença como vamos reagir a partida de algo que amamos.
Pra mim a morte significa algum tipo de descanso, deve haver uma paz muito grande quando perdemos a consciência, os pesos devem sumir, as memórias ruins, dentre outras coisas...
Quando o coração deixa de bater e a mente deixa de pensar, penso eu que é como se fossemos realmente desligados, tanto das coisas boas como ruins...
Um dia eu tive medo da morte, por simplesmente temer alguns dogmas, quando eu os tirei de minha vida comecei a ter uma visão mais clara sobre a vida.
Posso não viver a vida de meus sonhos, mas tenho a consciência que não há nada que eu precise temer quando eu me for...
Pra que exista uma vida nova não é necessário que alguém morra...(...em todos os sentidos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário