sexta-feira, 26 de agosto de 2011


...se eu fiz o que julgava certo, podia ter feito o errado como assim eu fiz meses atrás...
Infelizmente motivado por algo vazio e tosco eu tive a coragem de quebrar minhas proprias regras e assim eu o fiz, sim, arrependo, a proposito: Arrependo do que fiz e do que não fiz, com maior tendência a primeira opção!
Cortando o mal pela raiz ele simplesmente desaparece, quero dizer, quase, porém boa parte se torna cinzas, e não de lembranças mas sim como de cigarros...
A realidade é um prato cheio para o ceticismo, e as respostas que antes eram confortantes hoje são tenebrosas, mas isso não faz com que a vida torne mais dura, apenas enterra dogmas...
Estou convencido que era este mesmo caminho no qual estou que eu deveria realmente estar, logicamente eu gostaria de tivesse algumas coisas, mas isso são detalhes, nos quais podem fazer diferença, mas não fazem tanta falta.
O fato é que estou lutando contra eu mesmo e isso constantemente, me cansa? Talvez, mas eu quero a verdade e quero descobrir as coisas, tanto fora quanto dentro de mim, não quero ser o dono da verdade [como alguns acham], apenas ver a verdade e essa não pode ser tão relativa, será?
Questiono mais a mim do que qualquer outra coisa e isso sinceramente faz bem.
Eu tenho a plena certeza o que é culpa minha, onde errei e o motivo de ter errado e sei que se eu um dia sustentar uma grande mentira a casa vai cair, não tenho quase nada sob controle, e isso também é bom me deixa em alerta...
Antes eu tinha fé, mas vi que isso tornava tudo mais injusto e nessa eu pude descobrir caminhos que já era pra eu estar há anos atrás...Pra que eu pediria algo a Thor, sendo que o mesmo teria, creio eu, coisas mais importantes a fazer, pra que olhar pra mim?
Tudo morre, fato! Mas sei que algumas coisas custam a ir, coisas que eu alimento pra me manter de pé, há riscos, claro...
Fecho meus olhos todo dia e lembro de coisas que um dia me fizeram sentir mais humano. Antes de dormir eu não converso sozinho, eu apenas comunico comigo mesmo (fico lembrando...), às vezes isso me faz mal, mas tem vezes que me pego rindo sem querer...
Ateei fogo em suas cartas, fui pro inferno, experimentei a ilusão e o resultado disso tudo? Nenhum...no fundo fiquei intacto!!!
Quero ter a oportunidade daqui uns anos de estar bem a sua frente e dizer de boca cheia que nada mudou dentro de mim, e que meu coração ainda acelera de saber que existe uma minima chance de eu sentir coisas que senti anos atrás, eu ainda estou vivo e isso é o que ainda me faz crer que há chances.
Não temo a morte, mas temo nunca mais me sentir vivo como antes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário