terça-feira, 5 de abril de 2011

Eu vejo um cara debruçado sobre uma janela enquanto eu o observo da janela do ônibus, o que ele está pensando?
Eu vejo um céu estrelado e me sinto parte daquilo, não somente pela matéria... é lindo saber que viemos de fragmentos estelares...mas é algo a mais que isso!
Pouco sono eu tenho, mas muito cansaço. Sonhos me trazem um conforto a realidade traz peso, pressão, responsabilidades, questionamentos e um pouco de alegria.
Não escondo meu lado pessimista e minha mente não para um minuto sequer de martelar que sou mais que um martelo pregando o mesmo prego, batendo no mesmo lugar, sempre e sempre e sempre...
Milhares de anos atrás com toda certeza não era o que é hoje, o que nos tornamos? Escravos de necessidades?
Vejo um cara fumando no "meio fio" e o que será que ele está pensando enquanto leva fumaça venenosa para seus pulmões, quem dera essa fumaça fossem idéias que mudariam o rumo das pessoas no mundo, não de forma desagradável, mas de forma que fizesse alguma diferença gritante e boa.
Meus olhos enxergam de mais, mais do que precisam, apenas preciso fechá-los um pouco mais, mas o peso de mantê-los abertos é maior que um peso que faça que minhas pálpebras se fechem.
Qual medo é maior de ficar apenas se contentando ou de nunca ter o que se quer, daquilo que sempre sonhou em ter...?
O lado ruim das coisas boas, isso existe, assim como em pequenas escalas existe o lado bom das coisas ruins.
Eu vejo um cara jogando um papel na rua, será que isso pode mudar o curso da vida de uma pessoa? E se esse papel fizer com que o bueiro se entupa e se chover forte e alagar tudo e por conta disso uma pessoa perder a vida, a casa... vão dizer que foi da vontade de deus, ou de estupidez de um ser humano? Exagerado eu sei, mas desgraças também é a soma de tudo aquilo que acumula e ferra tudo no final...
Eu tenho uma visão bastante cética em relação a mudanças, porque você simplesmente não vê mudanças, apenas é algo acordando de um disfarce...
Uma amiga minha disse, “passo quase minha vida toda nesse terminal de ônibus”...
Realmente, parei pra pensar em quantas horas passo dentro de ônibus, quantas horas no serviço e quantas horas pensando como sair dessa, como ir em busca do que quero.
Quantas horas eu abracei alguém, quantas vezes eu disse algo que confortasse, quantas vezes eu paro pra apenas contemplar a natureza, quantas horas de computador ligado e eu olhando pra tela pensando no que fazer...
Se fizermos uma soma de toda nossa rotina, vamos ficar totalmente assustado e/ou espantados, daí no final de tudo vemos quanto tempo perdemos com isso.
...que não valia tal esforço, que não compensou tanta luta, tantas noites sem dormir, se ao menos fosse algo que nos mantesse criativos e inspirados...
Como deve ser bom apenas respirar de forma natural, de ficar perto da morte e se livrar sem nenhum arranhão...
De sentir um gosto verdadeiro de uma fruta, sentir a leveza, se sentir em casa, sei lá...
Não gostaria de levar uma vida baseada em tempo, gostaria que fosse tudo congelado, sem tempo disponível, sem perda de tempo, sem ter tempo sem não ter tempo...mas isso é utopia em termos sociais nem tanto, mas em termos físicos totalmente.
As correntes que criamos, nos mantém cada vez mais afastados de alguma verdade, da simplicidade da vida, das viagens loucas, da coragem de viver de fato, de aprender a dizer adeus quando for necessário!
Cara! Se nascemos livres qual o motivo de nos mantermos presos? Se alguém tiver uma resposta convincente e racional me avise
Por que ficar preso a vontades de deus, de se deixar ser julgados por pastores, padres, quem eles são? Seria pretensão dizer que são menores que tudo, mas nem de longe são maiores. Que tal ensinamento é esse que as pessoas carregam com si?
Por que ter medo de viver algumas emoções (assim como eu), se um dia isso tudo vai acabar o que sobra é o que vivemos ou deixamos de viver. Duas escolhas...
As mesmas pessoas que dizem pra você não julgar são aquelas que aceitam julgamentos de homens que andam com livros sagrados de baixo do braço, e ai eu pergunto: Qual a razão disso?
Quanto mais você pergunta, questiona mais ensinamento você busca, mas seu cérebro é capaz de pensar, de raciocinar de reagir...absorver conhecimento e distribuir sem se alienar e sempre buscando quebrar os dogmas.
Eu respeito, sério e até de mais, só que como vou entender a fumaça que mata, a palavra que esmaga, o liquido que destrói, a matança que dá prazer, como?
Eu não quero a desculpa de poder ter outra vida quando morrer, eu quero a verdade enquanto houver tempo, enquanto eu me manter vivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário