domingo, 13 de fevereiro de 2011

Saudade...

É...cheguei a conclusão de que necessito fazer um texto como este pra desabafar...
Não sei se felizmente ou infelizmente algumas coisas que eu previ vem acontecendo.
A lógica pode ser mais forte... enquanto tentamos provar que pode ser invenção para nossos fracassos.
Saudade dos planos fáceis, da falta de preocupação, da coisa que por mais lógica parecia se tornava incrível.
Onde foi que erramos?
A vida pode ser tão cruel, digo isso baseado em escolhas, quando se tem dois caminhos e precisamos escolher apenas um e isso às vezes estraga tudo.
Pessoas que um dia amamos loucamente desaparecem mais rápido que piscar de olhos e a frase que escutamos é: “..mas a vida continua” Sim, ela continua, mas não do mesmo jeito e seria muita pretensão acreditar que permaneceria igual...
Saudade dos sonhos leves, dos sonhos que nada condiziam com a realidade, de outros mundos e até de certas ilusões.
O vazio não se preenche, às vezes nem aumenta...É tal obrigação de tapar o buraco que fazemos errar mais ainda...
Não há nem distância nem eventual falta de tempo, isso não pode ser desculpa para sumiços!
Talvez seja necessário dizer que não há mais espaço para tanto ontem, que o hoje se torna apenas fantasma de um futuro que nem sabemos se teremos.
Saudade do amor verdadeiro, da paz de espírito, daquela liberdade, daquilo que nos enchia de esperança verdadeira sobre tudo.
Sim, nós crescemos e evitamos dizer que algo que passou tenha sido melhor...
Cada vez mais escondendo da verdade!
E se um dia eu conseguisse reunir todas as pessoas do meu passado, todas essas que foram importantes...Juntasse-as numa mesa...O que rolaria?
Será que cada um deles notaria diferença no olhar? Quem começaria a falar? E teríamos coragem pra lembrar, pra falar tudo que sempre teve entalado.
Eu não consigo acreditar que mudemos tanto, não a ponto de querer que tudo apenas seja sombras...não a ponto de fazer tudo se tornar poeira facilmente.
Não teríamos histórias, não teríamos essência, não teríamos e não seriamos nada caso olhássemos para trás e simplesmente déssemos as costas...repito: NÃO SERIAMOS NADA!.
Peço apenas um momento de reflexão e mais respeito com que somos hoje devido a grande parte do que tenhamos sido no passado.
Peço pouco...apenas peço!
A vida não pode ser somente fruto de planejamento de futuro, de realidade em demasia...
Quando seremos criativos novamente? Quando não teremos vergonha de admitir que um dia fomos mais leves...
Saudade...saudade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário