domingo, 9 de janeiro de 2011


E quando sonhávamos em ter tudo que o outro tinha...até que tivemos e vimos que não era tudo.
O “perfeito” se tornou cômodo de mais...
E quando aprendi o que era amor, foi onde tirei o melhor de mim...até que um dia isso não foi mais o bastante...
E quando pedi por inúmeras vezes que Deus voltasse o tempo, logo percebi que eu tinha de viver o presente e que nem existia um Deus.
As coisas mudaram a ponto de somente eu perceber quando estava mudando pro lado que já estive.
...e quando eu queria ter bons sonhos, agora tenho. Mas eles despertam sentimentos desmaiados em mim e isso me faz um ser nostálgico.
Tudo pode ser como dados, jogos de tabuleiro, quebra-cabeças, às vezes são jogos, por outras é vida mesmo...
Tive de aprender a ver as coisas como elas eram (são) a partir de um segundo possa ser que não seja mais real...tudo tem seu tempo de duração.
...e quando me usei pra tentar ver um lado que sempre reneguei...fui eu um hipócrita?
Os bloqueios de antigamente não são os de hoje, de certa forma evoluí. O ponto é que, carreguei durante anos um muro em volta do presente que quando passei disso ainda ficou um pouco...
Há algo em minha mente que me acorda para coisas que sempre acho que perdi, mesmo que seja por instantes ainda consigo sentir...
Futuro é cego? Então viverei o presente de olhos fechados...talvez
Eu não tenho uma alma, então não sou bom? Não!
O passado passou então se resume a isso tudo que vivi? Não!
Não acredito em deus, por isso sou infiel e imoral? ...longe disso!
Não faço sexo, então sou uma “aberração”? ....
Não como carne, portanto "vivo só de mato"?...OK..¬¬

Nenhum comentário:

Postar um comentário