quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Não há expectativa que possa ser quebrada quando a realidade chega. Há situações muito mais além daquilo que criamos em nossa mente.
Pintamos o futuro próximo e borramos o distante, e às vezes essas cicatrizes são tudo aquilo que faz valer a pena.
Quando ouço uma canção que me volta no passado consigo sentir aquilo que sentira tempos atrás, ou seja, aquilo ainda não morreu em mim, às vezes permanece dormindo...
Tudo ao redor parece desaparecer, é mágico...
Quando eu sonho também consigo sentir exatamente a mesma sensação de quando vivia a situação de fato, eu não posso matar isso dentro de mim.
Não vou negar a mim mesmo que minha vida assim como da maioria é um quebra-cabeças, é um filme, é tudo entre a realidade e o sonho...
Por vários anos acreditei que num castelo de areia que demorou mais foi destruído, e nem foi somente por eu ter aberto meus olhos, mais uma vez foi algo entre o simples e o complexo.
Sinto uma pequena evolução, por mais que ela permanece mascarada em idéias de que tudo é desnecessário quando se questiona algo que parece inquebrável.
Não se trata de desistir ou de continuar, se trata de apenas permanecer vivo. E não digo isso somente de forma biológica.
Eu sinto muito falta de coisas que antigamente eu achava que não precisava e vai ser assim pra sempre, com coisas velhas e novas. Por isso digo que nada está tão parado a ponto de que não mude algo em nossas vidas.
Se eu pudesse...sei lá...faria diferente, embora eu ache que isso me traria onde estou hoje...
Apenas aconteceu...

Um comentário: