quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Já não tem aquela sensação de antes, o que permanece é o que levo para continuar a acreditar.
Eu tenho que pegar as últimas fichas que restaram e tentar completá-las para um próximo vazio intenso.
Se eu voltar um tempo atrás talvez eu não note que me abandonei e junto com isso algumas lembranças quase foram embora...logo elas que me seguravam...
Cansei! Sério...de mudar, de fingir...O que sempre me fez ser um homem de verdade foi a integridade e por alguns dias eu quase botei isso a perder...realmente não valia isso.
Não cobro que tudo siga a risca de minhas observações, não ter controle é o que dá a graça de ser pego de surpresa. O inesperado, o diferente...ah como isso tudo é bom!
Voltei de uma “guerra” contra eu mesmo, saí com algumas “perfurações”, mas nada que me traga aquele remorso horrível de não conseguir nem dormir.
Gostaria que tudo, tudo mesmo voltasse a ficar tranqüilo. Sinto que bem aos poucos a tontura está passando e quando acontecer isso por completo ficará mais simples entender que a paz sempre esteve comigo.
Quando caminho e vejo aquele céu laranja o que sinto não é mais aquela nostalgia que me deixava em pedaços, mas sim um momento bom que me faz sentir que tudo está caminhando para o lado que sempre esteve.
Não verei o passado como um lugar bom para se esconder e/ou viver, mas sei que de vez em quando eu posso passear por lá.
A vida não têm sido fácil, quer dizer, nunca foi, mas eu tenho a certeza que vejo mais coisas do que antigamente e sinceramente é sentir isso.
A consciência volta ao normal a partir de quando eu não fujo de mim mesmo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário