sábado, 23 de outubro de 2010

Com o caminhar desconfiado e o olhar longe, no futuro...
Estou em 2012 e tudo que vejo é quase tudo aquilo que eu imaginava, foi seguindo uma lógica quase que indestrutível...
Ainda com fantasmas que não me deixam ser totalmente o que eu era, mas vivi coisas que jamais imaginaria ter novamente, e aqui estou espantado.
Estou lendo alguns textos que escrevi um tempo atrás e mais uma vez me sinto como se estivesse lá... sinto falta daquilo que tentei não perder, mas que foi inevitável.
O mesmo vazio ainda persiste talvez não o mesmo, mas ainda algo que não foi preenchido, mas isso é de certa forma a motivação para continuar vivendo sem a obrigação que preciso encontrar algo que me sustente para sempre, isso é ilusão.
Alguns amigos meus encontraram o caminho, outros se perderam por aí e de vez em quando nos falamos, mas já não é a mesma coisa... nem devia ser mesmo!
Fiz loucuras, daquelas que sempre tive vontade de fazer e por alguns longos meses foi o bastante para eu me sentir concretizado, mas depois fui meio que acostumando e se tornou rotina e já não vejo com aqueles olhos mais!
Já não faço mais esqueminhas! Chegou uma época e isso começou a me dominar, não era mais natural, estava eu sem controle nenhum e constantemente acertava quase tudo...
Sinto-me mais fortalecido em relação a alguns vícios de antigamente, estou mais firme e continuo acreditando em muita coisa, mesmo que ainda não tenha tido algo que tive há muito tempo atrás.
Estou aqui e sei exatamente o que está acontecendo com uma pessoa em especifico e faz um tempo que se quer que eu a vejo. As lembranças ficam congeladas, mas o calor faz isso tudo derreter e vir a tona, mas sei muito bem como não deixar isso acontecer...agora eu sei!
Já consigo ter um pouco mais de equilíbrio, logicamente é como numa corda bamba, quando eu o perco eu caio e quando isso acontece o ciclo vicioso se move novamente e é ai que mora o perigo de tudo.
As ligações estão cada vez mais fortes e não sou pego de surpresa, mas confesso que foi uma longa caminhada até entender isso de forma mais simples, mas não menos profunda.
Noto que alguns passos ainda permanecem intactos e as cinzas cada vez mais constantes.
Ainda estou “só”, pois nem eu mesmo suporto a idéia de ter alguém e carregar outra comigo no peito...
Algumas idéias minhas mudaram, não tenho certeza para os outros, mas pra mim estão melhores.
O sentimento que tenho é que tudo que eu tenho e sou hoje é devido aos tropeços que tive, esses mesmos me levaram a lugares em que eu estive quando estava pleno.
Sobre os acertos...eles me trouxeram alívio, uma sensação de dever cumprido.
Agora me dão licença que vou dar uma passada em 2014 e já volto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário