domingo, 10 de outubro de 2010


...e um pedaço de gelo habita num corpo tão quente, porém, (também) fraco.
Não existe aquela onde que precisa ser forte o tempo todo e precisar fingir para demonstrar que existe força onde não há.
Como uma “face partida” de um lado, aquilo que sempre me trouxe para a real consciência, de outro lado, uma parte que acostumo ainda para entender o que estava distante...
Viver deveria ser a coisa mais importante do que qualquer outra coisa, mas descobri que tudo que faço é exatamente viver, não importa se eu quero entender, curtir, fingir, e/ou ser fraco.
Há um estágio onde já se foram as flores, mas algumas pétalas ainda residem em mim...
É uma coisa que me deixa anestesiado e sem reação, pois é mais do que fase é sentimento.
Na real, há coisas que ainda me tocam profundamente e isso não me deixa “morrer”. Por um tempo eu quis afastar de mim mesmo e tentar provar que eu era capaz de sobreviver ao “inferno” e saí até ileso de lá, mas existiram ou existem escoriações.
Pouca gente consegue sentir de fato o que venho tentando mostrar, talvez se abrissem meu peito veriam mais de oito “corações” batendo.
Sabe, é disso que falo! Acelerar as batidas, deixar se levar por algo que busca o que há de melhor em mim...
Não há resposta que defina algo, nem algo que se defina por algumas respostas. Algumas respostas um dia se tornarão inválidas a partir de quando as elas não são mais convenientes.
Claro, eu tenho medos e como eu tenho, sim, às vezes fujo do passado, mas às vezes é ele que me salva.
Mas por outro lado eu não posso esquecer as coisas que agora tenho, coisas que estou conseguindo... uma junção entre entender (ou não) e viver.
Queria eu ter sono agora, dormir e relaxar... mas no momento minha inspiração é tanta que minha mente está em êxtase.
Uma constante que sabe se lá onde vai parar...talvez não tenha que ter fim. Eu já me acostumei com o tempo, mas sei que aí mora o perigo.
De coração e essência, esse sou eu...sou sentimento, sou perguntas, sou erros, acertos e todo esse blá blá blá...
Não quero que aquilo que eu sempre busquei seja arrancado de mim, eu preciso buscar ainda mais...

Um comentário:

  1. Te compreendo maninho, mas não só pq tbm passo por algo parecido, mas pq vejo além dos muros também :)

    ResponderExcluir