sábado, 2 de outubro de 2010

Nunca existiu o diferente e o igual o que existia era um pré-conceito.
Ver o mundo através de uma cortina que só faz cegar é realmente como não acordar de uma ilusão.
Tantas coisas sempre caminharam juntas, monstros e curas, fadas e bruxas...
O que realmente existe é uma aventura...
Sabe quando você pula na cama e não ta nem aí que ela quebre?
Ou quando você quer pular num abismo, pelo menos quer...
Toda lógica começa com uma grande imprevisibilidade... Não duvido disso mais, pois é real.
O coração não deve bater de forma mecânica, a gente mal o controla...
Aqui dentro de mim bem escondido, mas quem conhece pode enxergar...Há luz
...embora esse papo todo de ver luz tenha saturado a minha visão!
Talvez a praticidade tenha caído bem para mim e a questão de adaptar tenha passado. É realmente meus olhos estão direcionados para o ponteiro que marca “o agora”.
Adeus, pelo menos por enquanto aos “esqueminhas”... eu não quero ter que saber.
Deixa cada pergunta para seu tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário