quinta-feira, 21 de outubro de 2010

De tudo um pouco!


Bom...Conhecimento não compartilhado é o mesmo que amar sozinho!
O que posso dizer depois de alguns passos dados para trás e com as mãos atadas...o universo não me quer sozinho?
Diferenças existem e saber conviver com elas por muito tempo talvez seja forçar muito a barra. O que pretendo dizer com isso é que nos obrigamos demasiadamente a respeitar aquilo que não nos respeitam.
Não levarei coisas de graça, não aceitarei que me levem embora, não do meu mundinho...
Já não tenho a pretensão de entender o egoísmo e hipocrisia das pessoas, pra quê?
Eu sei que recentemente estou me viciando de mais com as cinzas, mas são justamente elas que evitam do” lado b” vir a tona novamente. Eu não quero estar mais uma vez onde eu estive.
Se eu voltasse no tempo e me visse como estou certamente eu piraria, seria mais que surpreender, seria impactante...
Não é que eu tenha piorado, mas certas coisas que eu vi e descobri seriam de mais pra coisa de 5/6 anos atrás...
Mas não é que de um bom tempo pra cá eu me preparei pra passar uns dias no inferno. Eu sobrevivi, eu me adaptei de uma forma que eu jamais pensaria fazer.
Estive lendo alguns poemas que escrevi no passado e vi a total alienação que me fazia perder pouco a pouco as coisas ótimas que eu tinha, algumas se mantiveram, outras foram embora e deixando aquele sentimento de querer ter mais uma vez.
Às vezes parece que sou movido ao complexo, ao que não é simples, pode parecer que não tenho paciência para nada e que perdi mais do que ganhei nos últimos anos, apenas parece...
Hoje é suficiente? Talvez pro presente não, mas dependendo do futuro que virá poderá ser. As coisas se transformam. Não existe como controlar isso, pois é uma lógica que faz parte da minha vida e que movimenta tudo ao meu redor.
A distância de tudo me leva a crer que isso depende muito de mim, digo, as coisas passam rápido e algumas pessoas ainda são alcançáveis.
Tudo teve sua época e seu momento certo. Se antes eu tive não significa que terei de ter novamente. É uma evolução, mudança faz parte mesmo quando eu não quero mudar nada, eu ainda acho que por eu estar vivo ainda exista tempo, ainda exista como fazer tudo ter movimento.
Alguns pesos desnecessários saíram de minhas costas, sinto-me mais leve e menos pressionado, mas isso não implica que eu pire às vezes e que boto quase tudo a perder, é uma coisa mais de dentro.
Posso resumir tudo criando neste momento uma frase...
"Vazio é tudo aquilo que ainda não foi preenchido, até você perceber que já foi cheio."

Nenhum comentário:

Postar um comentário