segunda-feira, 26 de julho de 2010


E se todos nós fossemos peça de um tabuleiro...?
E que houvesse alguém que controlasse tudo que fazemos?
Qual o veneno nós tomamos constantemente que nos mantém apagados quase que diariamente para a verdade...
Nossos olhos são pequenos, enxergam de longe e somos cegos!
Por quê?
Buscando algo vazio dentro de uma realidade vazia e estúpida.
O inferno está a baixo de nós ou bem ao lado?
Nossos dados, nossas escolhas sendo justificadas com um dado, onde os lados são as conseqüências...(?)
O céu é o limite, ou ainda não demos conta que já estamos ao limite...?
O “remédio” cura a dor, mas nos deixam adormecidos e com pesadelos...
Dê seu lance, seja falso, encare tudo como brincadeira ou apenas como fase, dê um sorriso falso para que acreditem que você está bem... OK! Todos nós entenderemos! Mas... Não se esqueça é tudo culpa do jogador...
Agora é hora de se dopar, injete qualquer liquido alcoólico em você, finja ter uma força, mas suas pálpebras estão cansadas, mas sua mente mantém você acordado.
Invente uma desculpa! Diga que é tudo para relaxar... OK...OK Todos nós acreditaremos! (?)
Não! Acabo de descobrir que não somos parte de um jogo, onde não somos movidos para lá e para cá por um deus perverso!
Onde uma coragem termina no primeiro medo que temos, a felicidade bate a porta, você quer abrir, mas seu orgulho fala mais alto e termina com nada.
Parem de culpar o tempo, parem de culpar a certo Deus! Parem de motivos idiotas, parem de fingir, parem com toda essa encenação! A vida é e não pode ser comparada com algum filme, novela...É bem maior que isso...

Nenhum comentário:

Postar um comentário