domingo, 18 de julho de 2010


Aceitar minha condição e ver o que há além da janela... Não há somente um sol, pássaros voando, vizinhos na varanda...
Qual o maior medo... Se prender em sua própria casa ou ficar a mercê de perigos do mundo afora?
Enquanto a mente permanece aberta para as lembranças...
Se permitir relembrar coisas, aquelas mesmas que nos salvam de momentos de tristeza.
Mas há um perigo eminente... Cuidado! Não pode causar vicio nenhum...
Tanto tempo, tentando mudar, fingir, ser verdadeiro demasiadamente, olhar por todos os lados, que tal ver as coisas de forma mais simples e direta...
Nem toda perda pode ser tão ruim... E certas coisas são inevitáveis, mas às vezes só se descobre depois de tempos... Tanto faz...
Abrir mais que os olhos... Continuar a caminhar, a tentar... É bem isso...
Aceitar minha condição e ver que há algo além da janela e não é preciso abri-la para eu notar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário