quarta-feira, 7 de julho de 2010


Parece que eu caí de pára-quedas no mundo!
Vindo de um lugar diferente bem longe daqui... Deslocado, quebrado, cansado!
Onde minhas convicções e meus credos me levam longe da verdade e da felicidade.
Sempre precisa de uma ajuda falha, uma exaustão em acreditar que dessa vez dará certo.
Fotos com pessoas formando, sorrindo e felizes. Vão ter uma vida normal! É o que sempre eu quis? E não sei quando e como eu mudei de idéia....(?)
Existem vários caminhos? Talvez...E atalhos só me levaram a lugar nenhum e nem a chance de desistir existe, não pelo motivo de algo de dentro gritar, mas por falta de opção.
Tinha certa idéia do que seria a paz, do que eu tinha antigamente, certa idéia do que é ser livre, amar e ser amado! De ser justo e honesto com as coisas e com os sentimentos...Até que ponto vale a pena ser fiel para com o que eu sinto?
Será que vale a pena “quebrar as pernas”...?
E a paciência? Existe... Ou terei de fingir mais uma vez...Colocar pressão diante tudo resolve?
Deixei minha máscara no armário, mas todo dia que eu o abro ela está lá...E constantemente preciso usá-la.
Risadas, sorrisos nunca faltaram, mas isso significa que está tudo bem? Não... É apenas um disfarce ou às vezes um momento alegre.
A vida é feita de momentos? Até preencher o vazio?
O que na verdade preenche as lacunas?
Precisa de alguma tristeza de alguma perda, de alguma pseudo distância para abrirmos os olhos para a queda?
O que está ali sempre esteve... Pouca coisa que saí do lugar, nós mesmos que vivemos andando sem saber para onde e continuamos cegos e às vezes fazemos isso por que queremos, para fingir que não precisamos acabar com tudo para recomeçar.
Mas precisamos botar um fim em tudo um dia!
O ciclo não para! É algo vicioso, mas que quando precisamos nos dopar não o fazemos.
Ou seja: O que é conveniente nós fazemos... E que se foda todo o resto.
A simplicidade se tornou algo banal...
Entender? Não... Viver sim... Mas talvez nós precisássemos mesmo buscar as respostas e isso pode trazer conseqüências graves para o futuro.
Será que estou disposto a ver o que ainda não vi!
Será que a vida normal traz a cura para a complexidade?
Será que a loucura ainda é a melhor saída?
Será? Será?...

Um comentário:

  1. Val, aceitar que a vida é um labirinto sem fim é grande começo. A loucura sempre nos cercará e as vezes vencerá, mas serve para que possamos nos reerguer mais fortes e sábios. Não devemos saber tudo e ser fortes sempre. Devemos apenas viver um dia de cada vez, sem gerar expectativas que um dia nos derrubarão.

    ResponderExcluir